POR

/

ENG

Revistas

O instrumento por quem o faz

Toda orquestra que se preze tem, por trs dos instrumentistas, grandes professores, coordenadores e maestros. No entanto, existe ainda outro profissional importante, embora menos conhecido, principalmente no Brasil, onde a msica clssica ainda no se popularizou em todas as esferas sociais. Atuando nos bastidores, ele desempenha uma funo que faz toda a diferena na hora da orquestra subir no palco. Os luthiers so responsveis pela manuteno, conserto e at pela fabricao de instrumentos musicais.

A profisso antiga. Indcios apontam que tenha surgido entre os sculos 15 e 17 na fase do Renascimento Cultural na Europa. A palavra tem origem do francs, Luth, que significa alade, em portugus instrumento musical bastante popularizado na Europa, naquela poca. A partir do alade, surgiu uma vasta gama de outros instrumentos de corda, que se desenvolveram e ganharam popularidade. Entre eles, encontram-se desde os mais tradicionais como violo, viola e bandolim at os mais modernos como guitarra e baixo eltrico.

At ento, na Europa da Idade Moderna, os instrumentos que surgiam eram de cordas dedilhadas. Ou seja, eles produziam o som atravs do toque dos dedos. Mais adiante, surgiram instrumentos mais complexos, que so os de arco ou de cordas friccionadas. Para toc-los, preciso usar um arco que, em contato com as cordas, produz sonoridade. o caso dos violinos, violoncelos e contrabaixos acsticos, tpicos de uma orquestra.

O ofcio dos luthiers, portanto, acabou se dividindo em dois segmentos aqueles que produzem instrumentos de corda e de arco. Este ltimo grupo de instrumentos ainda acabou gerando uma profisso parte. Trata-se do archetier, que o responsvel por produzir os arcos, muito embora alguns luthiers tambm exeram a funo. O principal bero dos instrumentos de arco era na Frana e, especialmente, na Itlia. A cidade italiana de Cremona, desde a efervescncia renascentista at hoje, referncia em lutheria a arte de construir instrumentos musicais. Foi l que surgiram luthiers de fama internacional, como Stradivarius e Guarnieri, no sculo 18. Da Itlia, tambm migraram luthiers para o Brasil, como Di Giorgio e Giannini, fabricantes de violo bastante populares desde o sculo 20.

O OFCIO NA ORQUESTRA CRIANA CIDAD

Por trs do auditrio da Escola de Msica Maestro Cussy de Almeida, uma porta esconde outro mundo da msica. L funciona a oficina dos luthiers da Orquestra Criana Cidad, onde trabalha Jos Maria Cavalcanti. Com apenas 21 anos, Jos Maria, que trabalhava com restaurao de documentos antigos em Caracas, na Venezuela, se mudou para a Itlia para estudar lutheria. Deixei tudo o que eu tinha, fui s com a cara, a coragem e dois mil dlares no bolso. S, conta o luthier. Chegando l, fez o curso de lutheria em Parma, onde fabricou seus primeiros instrumentos. Depois de quatro anos de curso, voltou para o Brasil e passou oito anos sem exercer a profisso, at ser convidado para trabalhar com os Meninos do Coque. Para Jos Maria, a lutheria um ofcio importante, mas que tem pouco reconhecimento. No Brasil, existe lutheria, principalmente no Sul. Mas no algo muito comum. Quando morei em Cremona, em cada esquina tinha uma lutheria. Era como farmcia aqui diz.

Joo Batista o outro luthier da Orquestra Criana Cidad. Natural de So Joaquim do Monte, interior de Pernambuco, Joo Batista cresceu vendo o tio construir rabecas. Mas seu caso de amor com a msica s surgiu anos mais tarde. O interesse o fez no s querer tocar os instrumentos, como tambm faz-los. Comecei trabalhando na calada. Eu tinha uns 21 anos. E a paixo foi crescendo cada vez mais, afirma ele. O mais intrigante que Seu Batista, como mais conhecido, autodidata. Gostava muito de observar, escutar... A partir da, a paixo foi aumentando, e eu fui aprendendo, diz ele.

Depois de construir a primeira rabeca, o luthier no parou mais. Fabricou violinos, violoncelos, violes, contrabaixos e at arcos. Trabalhou para msicos famosos, no Conservatrio Pernambucano de Msica (CPM) e nas Orquestras Sinfnica de Pernambuco e da Bahia. Seu Batista relembra de grandes pessoas e amigos que o ajudaram muito em sua jornada. Sou muito grato a Cussy (de Almeida, maestro falecido da Orquestra Criana Cidad). Ele me incentivava muito. Foi atravs dele que conheci o cnsul da Alemanha, pra quem fiz alguns instrumentos. Otto Schmidt foi outro que tambm me ajudou muito. Com o livro que ele me deu, eu consegui fazer meu primeiro violino. Mesmo sem saber alemo, eu observei as figuras, as medidas e fiz. Nunca tive dificuldade alguma nessa arte, porque todo mundo que eu encontrava no caminho me ajudou, disse Joo Batista, que j teve, inclusive, seus momentos de fama foi o primeiro luthier no mundo a construir um violino todo em pau-brasil.

Segundo ele, o instrumento seu xod. J teve gente querendo comprar, mas eu no vendo, meu carto de visita. Estou fazendo o segundo agora, mas j tenho trs compradores, diz ele, entre risos.

CURIOSIDADES

As melhores madeiras para se fazer um instrumento de arco, como um violino, so o cero tipo de pinho europeu e o abeto que nasce nos Blcs. Algumas madeiras nacionais tambm so boas, como a araucria, o louro e o ip-tabaco.

O arco composto de duas partes bsicas: a de madeira, onde o msico o segura preferencialmente, feito de pau-brasil e as fibras que friccionam as cordas, que so crinas de cavalo as melhores so provenientes da Monglia, pas da sia central.

Os violinos Stradivarius e Guarnieri foram construdos por volta do sculo 18. Hoje, alm de raros, so os mais caros do mundo. Em 2006, um Stradivarius foi arrematado em Nova York por US$ 3,5 milhes. Em 2008, um magnata russo ultrapassou a marca anterior para comprar um Guarnieri, num leilo em Londres. O valor no foi revelado, mas estima-se que tenha passado dos US$ 4 milhes .

Cussy de Almeida foi o primeiro brasileiro a adquirir um violino Stradivarius, em 1974.

Di Giorgio foi um dos luthiers mais importantes do Brasil. Tendo o violo como seu forte, teve instrumentos nas mos de msicos como Joo Gilberto, Roberto Carlos, Baden Powell, Vincius de Morais e Tom Jobim.

PRXIMOS CONCERTOS

19/08/2017

Concerto comemorativo de 11 anos da Orquestra Criana Cidad

24/08/2017

Recebimento da Medalha de Mrito Jos Mariano

Clique aqui e baixe a Cartilha Lei Rouanet

outras matrias desta edio



Apoio

Patrocnio

Patrocnio Master

Realizao

Acompanhe-nos nas Redes Sociais

/criancacidada

Contato

Contato para Eventos

Gabryella Boudoux

Fones: 81 3428.7600/81 9 9403.7296

E-mail: eventosocc@gmail.com

Assessoria de Imprensa

Carlos Eduardo Amaral

Fones: 81 3428.7600 | 81 9 8831-9700

E-mail: audicoes@gmail.com

Onde h msica no pode haver maldade
Miguel de Cervantes

Zaite Tecnologia, Empresa desenvolvedora do site.