POR

/

ENG

Revistas

Scio-fundador da ABCC preside OAB-PE

Toda ao beneficente parte da iniciativa de um ou mais indivduos que valorizam a vida do prximo e entendem a necessidade de no apenas preserv-la, mas promov-la com dignidade. Por trs de um simples ato de gentileza e de grandes projetos ambiciosos, h pessoas que acreditam em um futuro melhor e o buscam da melhor maneira possvel em seu dia a dia. Pedro Henrique Reynaldo, advogado, participou da fundao da Associao Beneficente Criana Cidad, em 2001, e acompanhou o trabalho de solidariedade e cidadania da organizao no governamental desde ento. Ele assumiu a presidncia da Ordem dos Advogados Brasileiros, seco de Pernambuco (OAB-PE), em janeiro deste ano, e contou equipe da revista Criana Cidad, por que apoia a nossa ideia.

Revista Criana Cidad - Quando e como comeou a sua relao com a ABCC?

Pedro Henrique Reynaldo - Tive a honra de subscrever, como scio-fundador, os atos constitutivos da ABCC, o que ocorreu meio que por acaso. Sempre tive uma grande admirao pelo desembargador Nildo Nery e testemunhei seu trabalho voltado s crianas carentes na poca em que ele exerceu a presidncia do TJPE. Ao trmino de sua gesto, quando o procurei para tratar de assuntos de advocacia, ele estava ocupado justamente com a formalizao jurdica dos estatutos da ABCC e, para minha surpresa, me convidou para subscrever seus estatutos, o que atendi prontamente por ser conhecedor da seriedade e dos nobres propsitos de seus fundadores. Desde ento, na medida de minhas limitaes, fao questo de contribuir com a entidade.

RCC - Voc j se envolveu, direta ou indiretamente, com outras atividades sociais?

PHR - Sempre fui muito consciente da responsabilidade social que nos cabe. Todo aquele que recebeu bnos to valiosas como educao, sade, oportunidade de trabalho, e, em razo disso, vive uma situao privilegiada em relao maioria da populao tem o dever de retribuir, de alguma forma, em favor da sociedade, sobretudo dos mais carentes. E essa retribuio no deve se limitar ao pagamento regular de seus tributos, o que constitui uma obrigao mnima e essencial. Portanto, h muito, e sempre que possvel, contribuo para algumas entidades e atividades sociais, como a ABCC, o Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (Imip) e a Fundao Terra. De certa forma, minhas atividades na OAB tambm atendem diretamente as finalidades sociais de grande relevncia. Dediquei-me bastante, nos ltimos sete anos, nossa entidade de classe como Conselheiro Federal e, agora, como presidente estadual. Esse trabalho essencialmente voluntrio e honorfico, sem qualquer retribuio financeira, e a OAB, alm de sua finalidade corporativa de defender e regular a classe dos advogados, tambm tem como misso legalmente prevista a luta pelo aprimoramento das nossas instituies democrticas, pelos direitos humanos e pela justia social.

RCC - Por que importante ajudar organizaes no governamentais?

PHR - preciso entender que o Estado, tal como compreendido nos tempos atuais (como em O Leviat, de Thomas Hobbes), no tem como solucionar todas as demandas da sociedade. Os entraves legais e burocrticos, assim como a prpria limitao de recursos, constituem obstculos ao pronto e pleno atendimento das necessidades da populao, notadamente de seus setores mais vulnerveis. Da a importncia do chamado terceiro setor, com a efetiva participao da sociedade atravs de organizaes no governamentais, sejam elas financiadas pelo prprio Estado ou mediante contribuio da iniciativa privada e das doaes individuais. Essas organizaes trazem duas grandes vantagens: a primeira, mais direta, consiste no resultado de aes concretas em favor da sociedade, suplementando ou mesmo substituindo a atuao estatal de forma mais eficiente; e a segunda vantagem, mas no menos importante, a consolidao de uma participao social mais direta na soluo de seus prprios problemas. preciso estimular que a sociedade se organize para que, ao invs de apenas se queixar da precariedade ou mesmo da ausncia de servios e polticas pblicas, passe a participar mais diretamente da fiscalizao do funcionamento da escola para cobrar melhoria do ensino, bom funcionamento dos hospitais e clnicas e acompanhamento e controle dos gastos pblicos, visando mais eficincia e menos desperdcio.

RCC - Por que acreditar no trabalho realizado pela ABCC/OCC ?

PHR - A crise de valores e a decadncia tica que estamos vivenciando em nossos tempos no contaminam apenas a conduta de parcela das pessoas pblicas como de parlamentares, magistrados e governantes. Existe, tambm, a corrupo privada, observada em parcela de todos os setores da sociedade, do feirante ao taxista, do mdico ao advogado, dos executivos aos maus empresrios. E isso, certamente, tambm pode ser observado em parte das organizaes no governamentais, criadas para desviar recursos pblicos ou at mesmo ludibriar doadores privados. Nesse contexto, de suma importncia se conhecer as aes e a histria de cada instituio para separar o joio do trigo. Acredito na ABCC/OCC pela sua bela obra social, conhecida por todos, no apenas em Pernambuco, mas em todo Brasil e no exterior, que vem promovendo, com dignidade, a cidadania e a esperana de uma vida promissora a inmeras crianas pobres, nascidas em um ambiente vulnervel e de poucas perspectivas. Mas tambm acredito nessa importante instituio por ser conhecedor do grande valor e esprito de verdadeira doao daqueles que a fazem. Pessoas como Nildo Nery, Helena Cala, Aquino Reis, Nair Andrade, Joo Targino, dentre outros, emprestam grande credibilidade a essa bela obra social realizada pela ABCC/OCC.

RCC - Como voc acha que esse trabalho pode melhorar?

PHR - Acredito que a ABCC/OCC possui um grande potencial que vem sendo um pouco desperdiado na captao de recursos para financiar suas atividades. Embora no esteja familiarizado com os nmeros de suas receitas, a julgar pelo grande capital poltico que a entidade possui, em razo de sua credibilidade e notoriedade, penso que poderia haver uma maior capilarizao da rede de prospeco de doaes, por parte da sociedade civil, doadores individuais, pequenas e mdias empresas, etc.. Depsitos para arrecadao de moedas e troco, situados em locais prprios, convnio com empresa de saneamento, distribuio de energia eltrica ou cartes de crdito, para facilitao dos meios de doao, certamente iriam incrementar as receitas e, com elas, as aes sociais da ABCC/OCC.

RCC - Como novo presidente da OAB, qual voc acha que o papel da instituio junto a entidades filantrpicas ?

PHR - A OAB tem o dever institucional de defender o aprimoramento das instituies e zelar pela Constituio, o que denota uma competncia ampla prevista em lei. A ampliao e aprimoramento do chamado terceiro setor, no qual se inserem as entidades filantrpicas, tambm papel da OAB. Uma das formas de nossa entidade cumprir essa misso difundindo a importncia do papel de tais entidades e fiscalizando e coibindo eventuais desvios por parte daquelas instituies que porventura no meream crdito, preocupao esta que tambm compartilhada com o Ministrio Pblico e Tribunal de Contas do Estado.

RCC - Que recado voc d para que nossos leitores se motivem a colaborar com a nossa ONG ou com outras?

PHR - Diria que, diferentemente do que ainda acontece com o imposto que pagamos cuja destinao nem sempre bem empregada e, por vezes, lamentavelmente desviada, o que de forma alguma pode servir de pretexto para que no continuemos a pagar regularmente os tributos , nas doaes que fazemos para a ABCC/OCC ou outra entidade filantrpica idnea, o bom resultado facilmente constatado por aes sociais concretas, contando ainda com um importante diferencial: enquanto pagamos o tributo por obrigao legal, a nossa contribuio para a ABCC/OCC ato voluntrio e de amor ao prximo e de compromisso com uma sociedade mais justa e solidria.

PRXIMOS CONCERTOS

24/11/2017

Projeto Som Cidado - Grupo Sonoru's e percusso da Orquestra Criana Cidad

27/11/2017

Projeto Som Cidado - Orquestra Jovem do Ipojuca

01/12/2017

I Concurso de Jovens Solistas - Concerto dos Vencedores

Clique aqui e baixe a Cartilha Lei Rouanet

outras matrias desta edio



Apoio

Patrocnio

Patrocnio Master

  • Ipojuca

  • Coque

Realizao

Acompanhe-nos nas Redes Sociais

Contato

Contato para Eventos

Gabryella Boudoux

Fones: 81 3428.7600/81 9 9403.7296

E-mail: eventosocc@gmail.com

Assessoria de Imprensa

Carlos Eduardo Amaral

Fones: 81 3428.7600 | 81 9 8831-9700

E-mail: audicoes@gmail.com

Newsletter

Gesto

Onde h msica no pode haver maldade
Miguel de Cervantes

Zaite Tecnologia, Empresa desenvolvedora do site.