POR

/

ENG

Revistas

Orquestras para todos os gostos

Por trs das diversas manifestaes da msica, que encantam o pblico por passear entre o popular e o erudito, existem estruturas especficas de orquestra para dar o tom exato a cada composio. Em Pernambuco, a diversidade de gneros musicais frevo, maracatu, caboclinho, cavalo-marinho, entre outros incentiva msicos a quererem misturar, transformar e, sobretudo, propagar novos sons. Mas tambm persiste o gosto pela msica clssica e pelas obras que marcaram pocas, que fogem ao termo erudito. As trs orquestras que aqui sero mostradas possuem estilos distintos de repertrio, mas conquistam admiradores por onde quer que se apresentem.

A vivncia da Orquestra Popular do Recife
A Orquestra Popular do Recife (OPR), que est na ativa h quase 40 anos, uma das maiores difusoras do frevo e dos demais ritmos nordestinos. Idealizada por Ariano Suassuna, foi pioneira em pesquisa e transcrio de gneros tradicionais, dando incio s suas atividades em 1975. Em suas apresentaes so contemplados os mais variados gneros nordestinos como maracatus, caboclinhos, cirandas, etc. , mas atravs do frevo (em suas variaes: frevo cano, de bloco e, em especial, o de rua), que a Orquestra Popular adquire sua mais forte representatividade.

Convidado por Ariano em 1977 para assumir a regncia da Popular, o maestro Ademir Arajo, o Formiga, diz que a inteno era criar uma orquestra que pudesse trabalhar durante o ano todo, porque existe um formato (no imaginrio popular) de orquestra que s toca no Carnaval. A OPR tinha uma programao didtica, divulgando o resultado de um trabalho de pesquisa, cujo objeto de estudo eram as composies populares da regio. A Orquestra se apresentou em diversas comunidades do Recife e, muitas vezes, acompanhada pelo Bal Popular do Recife. Desde a dcada de 90, atua na Frevioca nos Carnavais com repertrios recheados, que vo do frevo ao caboclinho.

Quanto ao formato da orquestra, Ademir afirma que muda de acordo com a apresentao. Basicamente, so cerca de 20 msicos (cinco saxofones, quatro trompetes, quatro trombones, quatro percusses, um flautn, uma tuba e um baixo eltrico, fora eventuais arranjos). Msicos no exclusivos e que no tm uma rotina de ensaios: tudo fica a critrio dos eventos.

As apresentaes da Orquestra Popular do Recife no se restringem nem ao Carnaval nem a Pernambuco. Estiveram em outras capitais do Nordeste e do Brasil (Rio de Janeiro, So Paulo, Braslia), e fora do pas (Alemanha, Blgica, Cuba). A OPR mostra o seu som em concertos solo ou acompanhada pelo cantor Claudionor Germano. Mas os espetculos j proporcionaram grandes encontros: desde Luiz Gonzaga a Lenine. Artistas e bandas da cena musical pernambucana mais recente, como Nao Zumbi, Eddie, Siba e China tambm dividiram palco com a Popular fato que sela a unio entre o tradicional e o novo.

Msica Clssica em Pernambuco: A Sinfnica Jovem
A nica orquestra sinfnica a se apresentar regularmente no Estado a Orquestra Sinfnica Jovem, do Conservatrio Pernambucano de Msica (CPM). Desde 2006, o grupo apresenta seu repertrio no projeto Circuito Sinfnico, que chega oitava temporada este ano. Sob a regncia do maestro Jos Renato Accioly, a orquestra comporta a formao bsica de instrumentos (cordas, madeiras, metais e percusso) distribuda num nmero expressivo de msicos na ltima temporada apresentaram-se 78 jovens entre 14 e 28 anos.

A Sinfnica Jovem foi criada para dar oportunidade de formao a novos msicos e tambm incentivar a criao de um pblico especfico, que, com maior acesso a obras clssicas, pudesse ter viso e opinio mais crticas e prprias acerca das sinfonias. Os jovens tm mania de achar que msica clssica careta, msica velha feita por e para velhos. Mas no assim. Msica clssica como cinema, cada obra com uma finalidade: divertir, emocionar, fazer pensar, explica Jos Renato.

Na Sinfnica Jovem, o instrumentista tem a oportunidade de aprimorar sua formao individual, bem como a experincia de fazer parte de uma orquestra profissional. Mas se engana quem pensa que a Sinfnica Jovem s toca obras clssicas. H tambm os encontros que unem os acordes da Jovem com a cultura popular, como o convite especial para dividir o palco com Dominguinhos, durante o Festival de Inverno de Garanhuns em 2010, e a experincia com o Quinteto Violado. Pra tocar o popular chamamos um compositor arranjador para dar ao sinfnico a roupagem de popular, conta Jos Renato. Esse contato ainda mais expressivo no projeto Pernambuco Sinfnico, com a proposta de divulgar a msica sinfnica em Pernambuco, com um toque popular. A nica edio at ento, ocorrida entre os meses de junho e agosto em 2011, homenageou Clvis Pereira e mostrou a fora que tem essa mistura de ritmos.

Ao todo, nas andanas da Orquestra Sinfnica Jovem entre o clssico e o popular desde sua fundao, o grupo j realizou 132 concertos oficiais. Fora esses, a conta sobe para mais de 200. A Orquestra s no tocou em enterro, mas em igrejas de toda a ordem, Clube das Ps..., brinca Accioly, apontando que msica clssica no diz respeito apenas ao que velho e triste, mas que sabe se adaptar s diferentes realidades e encarar novas empreitadas, trazendo, como porta-estandarte, as harmonias eruditas.

Caso especfico: Orquestra de Baile
Casamentos, formaturas, eventos corporativos. So essas as ocasies que marcam o calendrio de concertos de uma orquestra de baile, a exemplo da Fascinao, uma das mais atuantes em Pernambuco. Com mais de dez anos de atividade, j foi chamada para eventos em Petrolina, Joo Pessoa, Campina Grande e Fortaleza. Embora realize vrios eventos, o seu ponto forte so formaturas e shows de grande porte, como apresentaes, por exemplo, no Chevrolet Hall. Alm de entoarem canes emblemticas, esse gnero de orquestra investe bastante no visual, como em cenrios de poca e at, em festas temticas, com covers de artistas famosos, incluindo a participao de danarinos.

Em relao ao repertrio de uma orquestra de baile, as opes consistem em msicas que fizeram sucesso, segundo Genilson Pontes, diretor musical da Fascinao. So msicas populares de antigamente, americanas, brasileiras, MPB, boleros, folks. As chamadas msicas eternas, que so interpretadas com arranjos originais da prpria orquestra. Fora o bsico, a Fascinao busca adequar o repertrio s exigncias da modernidade. Tem noiva que diz que no quer brega de jeito nenhum. Outra noiva, que vai se casar com um baiano, pede mais msica baiana, comenta Genilson. Em cada vez, h sempre uma equipe que acompanha a festa e observa o tipo de pblico presente para sentir o clima do show. E esse fator pode redirecionar as msicas, que, normalmente, so divididas em blocos (de acordo com cada momento da festa).

Apesar dos preparativos, sempre h aqueles convidados que fazem pedidos que fogem do programado. Para se atualizar e dar conta dessas surpresas, Genilson comenta sobre o uso dirio da Internet para conhecer os sucessos instantneos. Quando lanam uma msica na Internet no meio da semana, certeza que vo pedir na prxima festa, afirma. Esses sucessos instantneos so apresentados com arranjos simples, tais como geralmente so os originais.

A Fascinao, bem como qualquer orquestra de baile, possui cinco msicos base, responsveis por bateria, contrabaixo, guitarra, teclado e percusso. A parte de metais so cinco pessoas: dois saxofones (alto e tenor), dois trompetes e um trombone. Somado a isso, trs cantores: duas vozes femininas e uma masculina. Genilson afirma que, em sua maioria, so profissionais autodidatas, o que comum nesse tipo de formao de grupo, principalmente entre os msicos dos instrumentos base da orquestra.

O dia a dia de uma orquestra de baile, a exemplo da Fascinao, bem distinto em funo da demanda de apresentaes. Genilson Pontes, diretor musical da orquestra, afirma que a orquestra se encontra semanalmente, para ensaiar no estdio. Embora as temporadas de dezembro-janeiro e julho sejam as mais movimentadas, a orquestra faz show sempre. E os eventos, que eram apenas dia de sexta e sbado, j tm a quinta tambm como dia de festa. Carnaval e So Joo so festividades que deixam o calendrio da orquestra mais leve, o que de alguma forma ajuda nas agendas individuais dos msicos e cantores da orquestra. No so profissionais exclusivos. Tocam com Elba Ramalho, Alceu Valena, Silvrio Pessoa..., comenta Genilson.

PRXIMOS CONCERTOS

21/09/2017

Show de abertura da Fliporto 2017

21/09/2017

Participao na Festa de So Miguel

27/09/2017

Grupo Contratempo (Percusso OCC)

Clique aqui e baixe a Cartilha Lei Rouanet

outras matrias desta edio



Apoio

Patrocnio

Patrocnio Master

Realizao

Acompanhe-nos nas Redes Sociais

/criancacidada

Contato

Contato para Eventos

Gabryella Boudoux

Fones: 81 3428.7600/81 9 9403.7296

E-mail: eventosocc@gmail.com

Assessoria de Imprensa

Carlos Eduardo Amaral

Fones: 81 3428.7600 | 81 9 8831-9700

E-mail: audicoes@gmail.com

Onde h msica no pode haver maldade
Miguel de Cervantes

Zaite Tecnologia, Empresa desenvolvedora do site.