POR

/

ENG

Revistas

Bullying

Problema de assdio repetitivo, fsico ou psicolgico, procura solues. Entre crianas, ele comum principalmente nas escolas

Dar apelidos aos colegas de classe pode parecer uma brincadeira engraada para muitas crianas e, muitas vezes, no so as principais preocupaes de pais ou professores. Esse comportamento deve ser levado mais a srio do que se imagina. Nem toda pessoa se sente bem quando motivo de risadas. Ao mesmo tempo, o bullying valento, na traduo do ingls como denominada a conduta, pode alcanar propores mais graves, que envolvem excluso de alunos e agresso fsica.

Ambiente de trabalho e universidade tambm esto sujeitos ao bullying, mas as escolas se tornaram os palcos principais. mais fcil uma adolescente agir dessa maneira do que um adulto. A criana ainda no enxerga as regras sociais, diz tudo o que pensa. Por isso, preciso estimular o respeito ao prximo, comenta a psicloga do Projeto F e Alegria, Teresinha Roslia Albuquerque, que atende a alunos dos Ensinos Fundamental e Mdio do Colgio Liceu de Artes e Ofcios.

Aos 10 anos de idade, Lara* sempre foi uma boa aluna, tirava notas altas e os professores a adoravam. At o momento, tudo estava bem, exceto quando os companheiros de sala comearam a sentir inveja. Foi assim que o bullying apareceu na vida da estudante. Os meus colegas se sentiam diminudos. Me rejeitar foi a maneira que eles encontraram de se sentir valorizados. J tentaram at modificar minha nota na caderneta, disse.

O bullying afeta no s a vida social da vtima, como tambm interfere no estado emocional. Eu me sentia triste, me isolava muito, tive crises depressivas. Com o tempo o meu rendimento escolar caiu drasticamente, confessa a menina. A estudante precisou fazer terapia para superar o que aconteceu, mas, mesmo assim, de vez em quando se sente com baixa auto-estima.

Acadmicos da Faculdade Maurcio de Nassau, em Pernambuco, vm tentando alterar a realidade. Desde 2009, a equipe participou da elaborao do projeto de Lei (1.288/2009) em combate ao bullying. De acordo com a gerente pedaggica da faculdade, Simone Brgamo , que tambm participou da construo do documento, o projeto busca incluir, nas escolas pblicas e privadas, medidas de interveno. O objetivo fazer com que a comunidade (escola e famlia) conhea o que o bullying. Vamos realizar palestras e seminrios com o tema e, assim, minimizar o carter agressivo do jovem que pratica, alm de proteger e ajudar quem sofre a se fortalecer, disse.

Em outros estados, a sociedade civil tambm luta contra esse comportamento. O projeto Cia de Atores de Mar, do Rio de Janeiro, usa o teatro como conscientizao das causas e consequncias do bullying. Viajamos para as escolas de todo o Pas com o espetculo Bullying, mostrando o problema, a violncia escolar e possveis solues, afirma o diretor e fundador do projeto, Mar Junior.

Com o espetculo, os jovens se sentem mais interessados em refletir sobre o problema. Percebemos que os jovens so impulsivos porque as escolas no se humanizaram. Eles precisam desenvolver a imaginao no dia a dia. Por isso, o projeto transformador, conclui Junior.

*Nome fictcio.

PRXIMOS CONCERTOS

23/10/2017

Abertura da Semana Nacional de Cincia e Tecnologia

29/10/2017

Encerramento do 1 Festival do Livro do Ipojuca

Clique aqui e baixe a Cartilha Lei Rouanet

outras matrias desta edio



Apoio

Patrocnio

Patrocnio Master

  • Ipojuca

  • Coque

Realizao

Acompanhe-nos nas Redes Sociais

Contato

Contato para Eventos

Gabryella Boudoux

Fones: 81 3428.7600/81 9 9403.7296

E-mail: eventosocc@gmail.com

Assessoria de Imprensa

Carlos Eduardo Amaral

Fones: 81 3428.7600 | 81 9 8831-9700

E-mail: audicoes@gmail.com

Newsletter

Gesto

Onde h msica no pode haver maldade
Miguel de Cervantes

Zaite Tecnologia, Empresa desenvolvedora do site.