POR

/

ENG

Revistas

Perfil - Capiba em notas e versos

Enaltecendo a cultura popular nordestina, o artista foi um dos maiores compositores da msica nacional

Divertido, amante da msica e assduo frequentador dos Carnavais do Recife. Loureno da Fonseca Barbosa, ou simplesmente Capiba, nasceu em outubro de 1904, na cidade de Surubim, em Pernambuco. Compositor e instrumentista, exerceu com maestria as duas funes at o final da vida. Com uma discografia bastante diversificada, o artista comps valsas, frevos, cocos, maracatus, sambas e peas eruditas.

Capiba foi o dcimo filho de uma prole de 13 crianas todas sustentadas pela msica. Em 1908, a famlia mudou-se do Recife para Campina Grande, na Paraba. Severino Atansio de Souza Barbosa, pai de Capiba, era orquestrador, arranjador, professor de msica, tenor de igrejas, clarinetista e violinista. Ele ensinou a arte musical para os filhos que, desde muito pequenos, j integravam a banda de msica Lira da Borborema, na cidade de Tapero, no Estado da Paraba. Eles ajudavam a trazer dinheiro para casa com as apresentaes em clubes. Aos 10 anos de idade, Capiba j rabiscava as suas primeiras composies. Sempre envolvido com as manifesta- es musicais, aos 13 anos participou da Banda Bacurau, onde cantava msicas sacras nas festas da padroeira da cidade de Tapero.

A carreira de pianista teve incio aos 16 anos. O piano era o mvel mais disputado da casa, mas s era tocado pelos filhos mais velhos. Josefa, uma das irms de Capiba, era pianista do Cine Fox de Campina Grande; com o trabalho, ajudava a pagar as contas da casa. No dia do seu casamento, ela havia sido contratada para tocar no cinema. Se no fosse, perderia o cach. Para que isso no acontecesse, o pai e maestro da famlia colocou Capiba para executar o piano no lugar da irm. Mesmo sem nunca ter estudado o instrumento, em 11 dias, aprendeu a executar sete valsas e foi contratado. O feito logo se espalhou pela cidade, e ele passou a dedicar-se cada vez mais ao instrumento. Tempo depois, foi convidado a integrar a Jazz Campinense como pianista e a acompanhar o cantor lrico italiano Brilhantini.

Em 1924, o falecimento de sua me, Maria Digna da Fonseca, foi um baque na vida do compositor. Para homenage-la, ele comps a valsa Lgrimas de Me, em parceria com o seu irmo Antnio Barbosa. A vida tinha que continuar, ento se recuperou da dor e assumiu o cargo de pianista do Cine Rio Branco, onde conheceu Oliver Von Sohsten, homem rico e educado na Inglaterra, que adorava o carnaval e financiava algumas orquestras nesse estilo. Capiba passou a dirigir bandas carnavalescas e, entre 1926 e 1929, comandou as bandas Mulher sem Corao, Eu Sou Doido por Voc, Quem Tem Amor Tem Cimes, e Aluga-se um Corao. Na dcada de 1920, o compositor participou do concurso musical da revista Vida Domstica. Na ocasio, ele apresentou o tango Flor das Ingratas e obteve o primeiro lugar.

O RECIFE GANHA MAIS UM POETA

Preocupados com o futuro de Capiba, o pai e o irmo mais velho, apelidado de Tanto, decidiram inscrev-lo no concurso para trabalhar no Banco do Brasil, no Recife. Por isso, em 1930, o msico foi nomeado para assumir o cargo e trabalhar seis horas por dia na repartio pblica. A estabilidade do novo emprego garantiu que Capiba pudesse estudar e se dedicar s composies, porm sem descuidar dos afazeres do banco.

J instalado no Recife, o compositor entrou em contato com os msicos pernambucanos, acalentando o desejo de participar da cena cultural da cidade. Capiba fundou ento a Jazz-Band Acadmica banda formada por alunos dos cursos superiores do Recife, que se apresentava em formaturas.

Sua primeira composio feita na capital pernambucana foi Valsa Verde, com letra de Ferreira Santos. A obra foi composta em 1931 para ser apresentada no tradicional baile de formatura dos Acadmicos de Medicina, no bairro do Derby.

frente da Jazz-Band Acadmica, Capiba comps vrios clssicos, assiduamente executados nos sales de baile do Recife. Entre eles, de toror musicada a partir de um poema de Ascenso Ferreira, e E se morrer o nosso amor?, escrita em 1932, em parceria com Ferreira dos Santos. Por participar de uma banda acadmica, Capiba refletiu sobre cursar uma instituio de ensino superior. Por isso, ainda em 1932, fez o vestibular e foi aprovado para cursar a Faculdade de Direito do Recife.

O jornalista, editor e escritor Leonardo Dantas Silva, um dos melhores amigos de Capiba, acompanhou sua trajetria no Recife. Aos 20 anos de idade, Leonardo trabalhava como reprter do Jornal do Commercio, onde conheceu o artista. Ele era uma pessoa muito agradvel e muito vaidosa. Adorava ser reconhecido na rua, aparecer em jornais e revistas, relembra Dantas.

A morte de Tanto, em 1933, abalou as estruturas de Capiba, novamente. Ele era o seu maior conselheiro e tratava-o como um filho. Da tristeza e do luto, nasceu a cano de amargar.

Eu bem sabia
Que este amor um dia
Tambm tinha seu fim
Esta vida mesmo assim.
No pense que estou triste,
Nem que vou chorar.
Eu vou cair no frevo,
Que de amargar.

A msica concorreu ao prmio de melhor composio no concurso promovido pelo jornal Diario de Pernambuco, conquistando o primeiro lugar. Capiba era sempre o personagem dos seus versos. Cada msica dele retrata um pouco da sua histria, aponta Leonardo Dantas.

No dia do anncio do vencedor do concurso, Capiba preferiu no acompanhar a votao na plateia do Teatro de Santa Isabel, no Recife. Ele ficou observando, de longe, o que acontecia durante a solenidade. Ao ser anunciado como o premiado, foi descoberto e levado nos braos de uma multido que cantava o frevo de amargar. O povo celebrou a vitria de Capiba pelas ruas do Recife. No mesmo ano, a obra foi gravada pela RCA, com interpretao do cantor M- rio Reis, e tornou-se um dos frevos mais tocados na histria pernambucana.

Aps alguns desentendimentos com alguns integrantes da Jazz-Band Acadmica, Capiba comeou a organizar outro grupo musical, o Bando Acadmico do Recife. A estreia da nova orquestra aconteceu no Clube Nutico Capibaribe em 1935. Um ano depois, o artista deixou o grupo e comps as msicas Manda embora essa tristeza e Quando eu passo em sua porta, gravadas respectivamente por Aracy de Almeida, ainda em 1936, e por Claudionor Germano, em 1978.

Suas msicas ganharam as rdios e passaram a integrar um programa carnavalesco produzido pela Rdio Tupi. A paixo pela literatura tambm serviu como mote para dar vida a vrias msicas. Quando ele gostava muito de um texto, dava logo um jeito de criar uma msica para ele. Macambira, de Joaquim Cardoso, e A pena e a lei, de Ariano Suassuna, foram algumas das obras musicadas. Mas seus maiores sucessos foram escritos a partir das obras do poeta Carlos Pena Filho, conta Leonardo.

Em 1943, o teatrlogo pernambucano Mrio Sette executava a montagem da pea Senhora de Engenho, que seria encenada por um grupo teatral no Sindicato dos Bancrios do Recife. O diretor encomendou a Capiba uma obra que figurasse como trilha sonora da pea. Ele ento comps Maria Betnia, fazendo referncia personagem principal, que se chamava Maria das Betnias.

Nlson Gonalves visitou o Recife, em 1944, e teve contato com a composio, gravando-a logo em seguida. Leonardo Dantas lembra que a msica estourou nas rdios e foi inspirao para que muitos pais colocassem, em suas filhas, o nome da personagem da msica. O nome da cantora baiana Maria Bethnia foi sugerido por Caetano Veloso a Dona Can a partir dessa composio, revela Dantas.

CAPIBA E A ARTE ERUDITA

Interessado em se aperfeioar nas tcnicas musicais, Capiba conheceu o maestro fluminense Csar Guerra-Peixe, que estava no Recife para pesquisar a cultura popular e trabalhar na Rdio Jornal do Commercio. Em 1949, o msico pernambucano teve aulas de composio e regncia, alm de tornar-se amigo do maestro. Leonardo Dantas afirma que Capiba no era um msico de ouvido. Ele estudava muito. Passava horas no piano e todas as suas composies eram submetidas a Guerra-Peixe, seu grande mentor musical, relembra.

Na publicao O livro de ocorrncias, uma autobiografia escrita por Capiba, o msico conta que sua primeira composio de concerto foi escrita para um concurso. A obra vencedora iria homenagear os 100 anos do Teatro de Santa Isabel, alm de ser tocada pela Orquestra Sinfnica do Recife.

Guerra-Peixe fora concorrente de Capiba no concurso. O jovem msico tinha conscincia de que aquela seria uma luta desigual. Mesmo assim, comps uma pea de acordo com as exigncias do regulamento, descrevendo as passagens mais importantes da histria do Teatro. Finalizado o trabalho, enviou para a comisso julgadora da Diretoria de Documentao e Cultura da Prefeitura do Recife. Capiba escreveu, em O livro de ocorrncias: Depois da inscrio, me mandei para Fazenda Nova, lugar onde o fregus vai para descansar e no descansa nada. Quando eu estava alheio do que se passava no Recife, recebo um telegrama informando que a msica de Guerra-Peixe havia conquistado o primeiro lugar, e a minha, o segundo.

Para Capiba, foi uma honra estar entre os vencedores; no entanto, no conseguiu esconder a frustrao de no ter a sua obra apresentada ao pblico, ao contrrio da pea vencedora, que foi tocada no Teatro de Santa Isabel. Em tom irreverente, ele escreveu em sua autobiografia: Essa foi a razo por que deixei de produzir msicas que no fossem populares. bem verdade que fiz outras peas; inclusive, duas peas para flauta; duas sutes para piano, intituladas de Instantneos n 1 e 2; e a Sute nordestina, composta para piano, mas que foi adaptada para orquestra por Guerra-Peixe. Eu estava muito acostumado com o sucesso rpido, por isso deixei de compor este gnero musical e embarquei novamente na msica do povo, de onde eu nunca devia ter sado.

Influenciado pelo amigo e criador do Movimento Armorial, Ariano Suassuna, em 1971, ele comps a obra Sem lei nem rei. A Orquestra Armorial, dirigida por Cussy de Almeida, gravou a msica no primeiro LP. Capiba tambm escreveu a Grande Missa Armorial, que foi apresentada pela primeira vez na Baslica de Nossa Senhora do Carmo, em outubro de 1984. A msica foi executada com o Coral da Unicap e Orquestra, regida pelo maestro Clvis Pereira como um presente de aniversrio para o compositor, que completava 80 anos.

O CASAMENTO

O artista Capiba era querido por todos e tinha muito bom humor; j o Loureno Fonseca Barbosa era comedido e tmido. Capiba casou muito tarde, aos 57 anos. Por ter um problema de gagueira, ele ficava com vergonha de cortejar as moas, pois achava que elas iriam mangar dele, como costumava falar, conta Leonardo Dantas.

O casamento com dona Zezita Barbosa foi realizado em 1960. Na poca, ela tinha 29 anos. Eles se conheceram quando ela trabalhava como instrumentista cirrgica no consultrio do mdico e amigo de Capiba Joo Suassuna. Aps oito meses de namoro, eles casaram-se sem quase ningum saber. O casal no teve filhos.

Quando Capiba comeou a namorar Zezita, ele comps a msica Frevo dos Namorados. Se eles estavam bem, ou se brigavam, ele escrevia uma letra. Depois que casaram, quase todas as msicas eram inspiradas na esposa, afirma Dantas.

O FREVO SILENCIOU

Mais de 60 anos de trabalho contriburam para o enriquecimento da msica nacional. De acordo com o pesquisador Jos Batista, que colaborou com Zezita para reunir o arquivo de Capiba, ele deixou 525 msicas no gravadas. Desse total, 217 composies foram lanadas, sendo 117 interpretadas por Claudionor Germano.

Compondo em praticamente todos os estilos e gneros, at hoje as obras de Capiba so reeditadas por cantores e msicos da atualidade. O CD mais recente foi produzido pelo violonista Raphael Rabello, sob o ttulo Mestre Capiba por Raphael Rabello e convidados. A produo conta com participaes de Paulinho da Viola, Caetano Veloso, Chico Buarque, Ney Matogrosso, Alceu Valena, Gal Costa e Claudionor Germano. Raphael Rabello faleceu antes de terminar o projeto, que s foi concludo sete anos depois pela irm de Rabello, Luciana, e por Daniel de Souza, filho do socilogo Betinho.

Capiba morreu em 31 de dezembro de 1997, aos 93 anos, por infeco generalizada, desencadeada por um cncer de prstata. O compositor estava internado no Hospital Jayme da Fonte, no Recife. O Governo do Estado e a Prefeitura municipal decretaram luto oficial de trs dias. Foram trs dias em silncio.

PRXIMOS CONCERTOS

23/10/2017

Abertura da Semana Nacional de Cincia e Tecnologia

29/10/2017

Encerramento do 1 Festival do Livro do Ipojuca

Clique aqui e baixe a Cartilha Lei Rouanet

outras matrias desta edio



Apoio

Patrocnio

Patrocnio Master

  • Ipojuca

  • Coque

Realizao

Acompanhe-nos nas Redes Sociais

Contato

Contato para Eventos

Gabryella Boudoux

Fones: 81 3428.7600/81 9 9403.7296

E-mail: eventosocc@gmail.com

Assessoria de Imprensa

Carlos Eduardo Amaral

Fones: 81 3428.7600 | 81 9 8831-9700

E-mail: audicoes@gmail.com

Newsletter

Gesto

Onde h msica no pode haver maldade
Miguel de Cervantes

Zaite Tecnologia, Empresa desenvolvedora do site.