POR

/

ENG

Revistas

Um Natal para o Coque

O Natal da minha comunidade repleto de luzes, pisca-piscas, reunies familiares, confraternizaes entre os moradores. Parece que todo mundo esquece os seus problemas; as crianas aproveitam para brincar at mais tarde do que de costume, sem se preocupar com nada.

Imagino que uma menina carente e bem simples esteja brincando nas ruas do Coque com seus amigos do bairro e, de repente, sua me grita de longe. Menina, vem dormir!. Toda a alegria da brincadeira desaparece, mas como ela sabe que sua me tem medo que algo de ruim lhe acontea, no teima e logo est em casa.

Ao deitar, logo pegou no sono. No demorou muito e comeou a sonhar com uma grande quantidade de brinquedos passando na TV. Era o noticirio da tarde, onde a apresentadora disse:

- Amanh, ser doada uma pilha de brinquedos para todas as crianas das comunidades do Coque e Cabanga, s 15 horas, no 7 Depsito do Exrcito, que fica no bairro do Cabanga. No se esqueam de levar seus filhos. Tem presente para todos.

Parecia que tudo era muito real, e a menina disse a sua me:

- Me! Ns iremos, no ?

- Claro, querida! Chame seus amigos!

Respondeu a me ao ver a alegria da sua filhinha.

Ao chegar a hora do grande evento, a menina apressa a me:

-Vamos! Vamos! Seno, iremos perder os presentes.

- Calma, filha, tem muitos presentes! Quem sabe eu tambm no ganho um?

A menina comeou a sorrir e acalmou-se.

J na portaria do quartel, elas avistam uma imensa fila de crianas e seus pais. Durante a entrega dos brinquedos, havia um grupo de crianas, que estavam tocando uma msica envolvente e bem suave.

Enquanto ouvia a melodia, a menina pensou: Que bom seria que todos os anos tivssemos um Natal assim: com todas as crianas felizes, livres da violncia e pobreza, com muito amor, paz e sade. Afinal das contas, uma poca divina em que se celebra o nascimento de Jesus e que deve ser festejada com muita harmonia entre as pessoas.

Em sua mente infantil, mas consciente das necessidades e problemas das pessoas do bairro, ela pensou mais um pouco porm, dessa vez pensou alto e todos a ouviram. Se todas as pessoas que tm condies financeiras melhores pensassem nas outras e contribussem com doaes, poderamos, sim, ter um Natal melhor todos os anos.

No intervalo da apresentao, a meninas percebe que um homem muito emocionado chorava de alegria. Ela ento se aproxima e pergunta:

- Quem voc e por que est chorando?

- Meu nome Cussy de Almeida, e choro porque vejo que Deus ouviu minhas oraes. Respondeu o senhor.
Ela ficou meio que sem entender a reposta que o senhor havia lhe dado, mas continuou a sorrir e, quando voltou os olhos novamente para ele, o viu sorrindo. Tentou falar para sua me, mas s os seus olhos puros podiam v-lo.

Chega a hora to esperada, e sua me diz:

- Venha, filha, sua vez!

A menina corre e abraa uma linda boneca, depois agradece ao garoto que lhe entregou o brinquedo. Ela, muito curiosa, pergunta ao menino:

- Quem so vocs?

- Somos a Orquestra Criana Cidad Meninos do coque responde o garoto.

Ela abre um sorriso imenso e agradece, mais uma vez, a todos os componentes da equipe musical.

De repente, a garota comea a sentir uma sensao estranha. Estava sendo balanada. Era a sua me tentando lhe acordar, dizendo:

- Filha! Filha! Acorde!

Ela, meio assustada, disse:

- Me, voc sabia que podemos ter um Natal melhor. Eu sonhei...

Sem deix-la terminar, sua me bem eufrica, disse-lhe:

- Filha, existe um projeto de msica que est chegando para a nossa comunidade...

- Desculpe-me me, mas eu j sei qual . a ORQUESTRA CRIANA CIDAD MENINOS DO COQUE ela interrompeu a me, com um grande sorriso no rosto.
Por Kennedy Ferreira, 13 anos, toca violoncelo na Orquestra Criana Cidad

Na minha opinio, o melhor presente de Natal para a comunidade do Coque seria a realizao de mais projetos sociais e profissionalizantes, tendo como exemplo o projeto Orquestra Criana Cidad, que deu certo. Mantendo, assim, os jovens ocupados, fora das ruas, das drogas e da criminalidade.

Jlio Cesar Junior, 17 anos, toca viola

A viso que a nossa sociedade tem da comunidade do Coque de um lugar onde s tem assassinatos, vandalismo, roubos, tiroteios, trfico, apenas coisas ruins. Mas o que a maioria das pessoas no sabe ou no quer enxergar que no Coque existem pessoas do bem, famlias de boa ndole, felicidade, amor ao prximo, compaixo e muita esperana de que, um dia, esse lugar mude para melhor. Ento, neste Natal, eu desejo, de todo o corao, mais segurana para a nossa comunidade, para que realmente possamos ter um Natal feliz e seguro.
Brenda Nunes, 12 anos, toca violino


Educao, para mim, quando a pessoa se desenvolve intelectualmente para conseguir viver em sociedade. Ns sabemos que o nosso Pas deve promover a educao de seus cidados. Apesar de estarem nascendo vrios projetos, eles ainda no so suficientes para todos terem acesso educao. Assim, um presente de Natal que eu gostaria para o Coque seria a implantao de um projeto que estimulasse todos a estudarem e terem uma boa educao.
Luuria Lucena, 11 anos, toca piano

Neste Natal, eu gostaria que, na comunidade do Coque, houvesse verdadeiras festas com mais segurana, brincadeiras, paz e muita felicidade, para que realmente possamos ter um Natal feliz.
Diana Amorim, 15 anos, toca violoncelo


A diminuio da violncia no Coque seria um bom presente de Natal. Por causa dela, ns no podemos sair sem medo para cumprimentar nossos amigos da comunidade. Nossas mes ficam com medo e acabam no deixando a gente sair. Criar um projeto para tirar os jovens das ruas tambm seria um timo presente, para que eles tivessem uma oportunidade de conquistar seus direitos de fazer parte da sociedade como um cidado.
Glayce Nayane, 12 anos, canta no coral

O que eu quero de presente de Natal para a comunidade do Coque mais segurana. Para mim, seria muito bom saber que poderia estar junto minha famlia e comunidade sem me preocupar com a violncia e aproveitar bastante as festas de fim de ano.
Maria Alexssandra Lopes, 12 anos, toca violino

Um presente que poderiam dar para o Coque seria mais policiamento para acabarmos com a violncia, com o trfico de drogas. Que prendessem os bandidos que matam pessoas inocentes na nossa comunidade.
Robetz, 13 anos, toca violino

Policiamento, saneamento, fim de preconceitos e mais projetos sociais seriam timos presentes de Natal para a comunidade do Coque. E, principalmente, oportunidades para que os jovens cidados consigam exercer seus direitos na sociedade.
Joo Pedro Lima, 14 anos, toca violino

PRXIMOS CONCERTOS

23/10/2017

Abertura da Semana Nacional de Cincia e Tecnologia

29/10/2017

Encerramento do 1 Festival do Livro do Ipojuca

Clique aqui e baixe a Cartilha Lei Rouanet

outras matrias desta edio



Apoio

Patrocnio

Patrocnio Master

  • Ipojuca

  • Coque

Realizao

Acompanhe-nos nas Redes Sociais

Contato

Contato para Eventos

Gabryella Boudoux

Fones: 81 3428.7600/81 9 9403.7296

E-mail: eventosocc@gmail.com

Assessoria de Imprensa

Carlos Eduardo Amaral

Fones: 81 3428.7600 | 81 9 8831-9700

E-mail: audicoes@gmail.com

Newsletter

Gesto

Onde h msica no pode haver maldade
Miguel de Cervantes

Zaite Tecnologia, Empresa desenvolvedora do site.